Como a computação quântica vai abalar os negócios para sempre

A feira anual Consumer Electronics Show (CES), em Las Vegas, conta boa parte da história da tecnologia desde 1967. Na edição mais recente, 180 mil pessoas do mundo todo passaram pelos corredores do evento para conferir os produtos que as empresas expositoras vão tentar nos vender nos próximos meses. Alguns vão emplacar, outros vão cair no esquecimento. Mas um lançamento em especial, em 8 de janeiro, tem boa chance de ser lembrado para sempre: o Q System One, da IBM, primeiro computador quântico do mundo de uso comercial abrangente. O equipamento negro com aparência de escultura futurista é um marco histórico. Entramos numa nova fase de uma maratona iniciada há décadas. Trata-se de uma corrida para levar a tecnologia dos laboratórios até o dia a dia das companhias — um esforço que hoje inclui colossos como AlibabaGoogle e Microsoft, além de startups. Em sua famosa curva de adoção de novidades, a consultoria Gartner estima de cinco a dez anos para que a computação quântica entre na fase de uso produtivo nos negócios (antes disso, a tecnologia deve passar pelo pico das expectativas infladas e pelo vale das decepções). O caminho vai ser tortuoso. Já temos, porém, algumas certezas.

Leer Más