Infectados pelo coronavírus podem ter se curado sem desenvolver anticorpos

Estudos realizados na Alemanha, nos Estados Unidos e em Cingapura indicam que as células T podem levar à cura de pacientes infectados pelo novo coronavírus sem que estes cheguem a desenvolver anticorpos. Desse modo, podem ser inúteis testes que detectam a presença de anticorpos mesmo para quem comprovadamente contraiu a covid-19. As informações são de reportagem do jornal britânico The Telegraph.

As células T são a parte 2 de uma resposta trifásica à infecção. O vírus começa a se ligar a receptores nas membranas mucosas na parte posterior do nariz e da garganta. Nesse ponto, com a detecção de uma proteína estranha no corpo, a 1ª fase imune entra em ação. As chamadas células imunes “não específicas”, que respondem a qualquer invasor instantaneamente, começam a atacá-la. Se não puderem, o backup é chamado: células T.

O envolvimento das células T na resposta do corpo à covid-19 não ficou claro até que 1 par de estudos recentes, 1 alemão e norte-americano, confirmaram sua presença na recuperação de pacientes.

Eles assumem duas formas: células T “auxiliares” e células T “matadoras”. O último ataca o vírus diretamente e “geralmente o devora“, afirmou o oncolgista Karol Sikora ao Telegraph.

Se não o fizerem, o vírus entra no sistema sanguíneo”, ele explica. É então que a 3ª linha de defesa (que ajuda as células T a desempenhar 1 papel na ativação) entra em ação. “É chamado de ‘sistema de células B‘”, diz Sikora, “e é isso que produz anticorpos“.

Ele diz que é inteiramente possível que as duas camadas iniciais da resposta imune lidem em alguns casos com o vírus SARS-Cov-2 sem a produção de anticorpos, levando testes que detectam anticorpos à inutilidade para algumas pessoas que foram infectadas.

O Telegraph reportou em 14 de junho a história de 1 empresário que, no fim de março, começou a sentir sintomas da covid-19 e conseguiu se recuperar lentamente. Já no início deste mês, ele pagou 180 libras por 1 teste fabricado pela empresa norte-americana Abbott do mesmo modelo utilizado pelo governo do Reino Unido em trabalhadores-chave. Esses testes detectam anticorpos específicos para a covid-19, gerados pelo sistema imunológico. Os exames têm precisão de 99% ou 100%.

O exame de sangue é para anticorpos IgG ao vírus e, portanto, testa a imunidade a esse vírus“, observa o site do SameDayDoctor. “Ter anticorpos IgG pode significar que você é potencialmente imune a doenças futuras“, observa o Harley Street Health Center.

No entanto, para espanto do empresário, seu resultado foi negativo, sugerindo que ele nunca teve a doença. “E, no entanto, eu sei que tive“, disse ele.

Um estudo de Cingapura (que ainda precisa ser revisado por pares) sugere, como os estudos alemães e norte-americanos, que as células T desempenham 1 papel importante na resposta imune de pacientes com covid-19.

Mas, criticamente, continua analisando pacientes infectados com SARS-Cov-1 –o coronavírus notavelmente semelhante ao de hoje, que surgiu em 2002/2003, causando a doença Sars.

Duas descobertas emergem: primeiro, as células T geradas na época ainda estão ativas 17 anos depois. E segundo, essas células T antigas oferecem proteção contra o novo coronavírus.

O estudo analisa ainda outro grupo que não havia sido exposto ao vírus Sars em 2003 e descobriu que metade deles também tinha células T que eram, no jargão, “reativas cruzadas” ao vírus de hoje, atacando-o.

O diretor executivo do Programa de Emergências da OMS (Organização Mundial da Saúde), Michael Ryan, disse recentemente que “há certamente alguma evidência em relação às células T, que se você tiver uma infecção anterior por coronavírus, poderá conseguir uma resposta mais rápida à covid-19. Mas não há evidências empíricas de que infecções anteriores por coronavírus o protejam da infecção pela covid-19“.

Em teoria, é possível testar a presença de células T ( os pacientes com HIV há muito tempo testam a contagem de células T para quantificar a força de seus sistemas imunológicos, e as células podem ser cultivadas em laboratórios para ver quais antígenos específicos os levam a crescer e atacar). Mas isso até agora não é uma possibilidade iminente.

O que está claro hoje, no entanto, é a centralidade da resposta das células T.

Uma mensagem para levar para casa”, observou François Balloux, diretor do Instituto de Genética da University College de Londres ao Telegraph, “é que a infecção pelo coronavírus induz imunidade forte e duradoura às células T (cruzadas). A imunidade de células T é provavelmente muito mais importante para nossa resposta imune à infecção por SARS-CoV-2 do que anticorpos. ”

Link_ https://www.poder360.com.br/coronavirus/infectados-pelo-coronavirus-podem-ter-se-curado-sem-desenvolver-anticorpos/

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s