Glutationa: Um antioxidante que aumenta a eficiência de todos os outros antioxidantes

 

 

 

 

 

Escrito por Dr. Mercola e Ori Hofmekler

A glutationa, um tripeptídeo encontrado em todas as células do seu corpo, é o seu antioxidante mais forte e já foi até chamada de “antioxidante mestre”.

Os antioxidantes são muito importantes para eliminar os radicais livres do seu corpo. Os radicais livres são, basicamente, partículas altamente reativas que ficam livres dentro das células, danificando tudo o que tocam. Em sua maioria, os radicais livres são originados durante os processos de metabolismo, mas também podem surgir a partir de exposições à toxinas, radiações, e metais tóxicos.

Como os radicais livres são altamente destrutivos, as células têm uma rede de defesas para neutralizá-los. Essa rede de antioxidantes é composta por vários componentes, como vitaminas, minerais e compostos químicos especiais chamados de tióis (glutationa e ácido alfa-lipóico).

Composta por três aminoácidos (cisteína, glutamato e glicina), a glutationa às vezes é confundida com a glutamina e o glutamato devido aos nomes similares. Apesar das três substâncias estarem relacionadas, suas composições e funções diferem. Quando o seu corpo está saudável, há um equilíbrio entre as três, que desempenham suas funções delicadamente.

Resumindo, estas são as diferenças entre as três:

  1. Glutamina — O aminoácido mais abundante do seu corpo, criado no seu cérebro, a partir do glutamato. É muito importante para vários processos de cicatrização de ferimentos e reparação muscular. É um precursor da glutationa.
  2. Glutationa (dois tipos, GSH e GSSG) — O “antioxidante mestre”, antioxidante mais forte do seu corpo, presente em todas as células. Ela protege as células, e é muito importante para a saúde do fígado. Se decompõe em glutamatos livres.
  3. Glutamato (também conhecido por ácido glutâmico ou L-glutamato) — É um aminoácido neurotransmissor do cérebro, necessário para as atividades sinápticas. Além disso, é uma endotoxina, de forma que você não deve ter grandes quantidades dessa substância. (Veja também: glutamato monossódico, ou MSG)

A diferença da glutationa para os outros antioxidantes é que ela é intracelular. Além disso, ela tem a capacidade única de maximizar as capacidades dos outros antioxidantes, como as vitaminas C e E, ubiquinona, ácido alfa-lipóico, e as frutas e vegetais frescos que eu espero que você consuma diariamente. A glutationa remove as toxinas das suas células e te protege contra os danos causados por radiação, produtos químicos e poluentes ambientais.

Como a glutationa é tão “milagrosa”, é normal pensar que a criação de um suplemento da substância seja uma boa ideia. Mas como de costume, a ciência perde para a natureza na otimização desse antioxidante tão saudável.

Atualmente, existe um grande entusiasmo sobre a suplementação de glutationa, muito popular por ser um “milagre”, capaz de melhorar a saúde, prevenir doenças e atrasar o envelhecimento.

Nesse artigo, vamos separar os fatos e os mitos a respeito do funcionamento da glutationa, e mostrar a maneira correta de aumentar as suas reservas desse antioxidante.

Como a glutationa funciona

A função principal da glutationa é proteger as suas células e as suas mitocôndrias de danos oxidativos e peroxidativos. Mas quanto mais você envelhece, menor será a capacidade do seu corpo de produzir glutationa.

A glutationa não é apenas um antioxidante interno. Ela também é um fator muito importante para o consumo de energia, desintoxicação, e prevenção de doenças associadas ao envelhecimento. Sua deficiência está ligada a:

Doenças relacionadas ao envelhecimento, como mal de Alzheimer e Parkinson Doenças coronárias e autoimunes
Artrite, asma e outras doenças inflamatórias Câncer
Disfunção mitocondrial Fraqueza muscular e fadiga

A síntese de glutationa depende do trifosfato de adenosina (ATP), a molécula que fornece a energia celular. Portanto, os níveis de glutationa estão ligados à falta de energia, ou deficiência de ATP.

Essa é a maior razão pela qual os exercícios são tão importantes para a sua saúde. Além de outros benefícios, eles aumentam os seus níveis de glutationa!

Se você for capaz de aumentar a sua produção de glutationa, você fortalecerá seu sistema imunológico de forma que ficará protegido de vários efeitos do envelhecimento.

Os suplementos de glutationa funcionam?

A capacidade do seu corpo de transferir a glutationa do seu sistema digestivo para o seu sangue é muito baixa. A maioria dos suplementos orais de glutationa não são devidamente absorvidos pelo seu corpo, de forma que são um desperdício de dinheiro.

A suplementação endovenosa de glutationa obteve alguns sucessos, mas esse método é muito caro e não é nada prático, de forma que deve ser usado somente em casos de extrema necessidade. A suplementação de glutationa pode ajudar pessoas imonodeficientes, mas só até certo ponto, e de forma temporária, como se estivesse recarregando uma pilha fraca.

E, ironicamente, a suplementação de glutationa pode interferir na produção de glutationa pelo seu corpo. O corpo humano é programado para produzir as suas próprias enzimas antioxidantes, como a glutationa e o SOD (superóxido dismutase, o primeiro antioxidante ativado pelas células quando necessitam de defesas).

A suplementação sintética desses compostos sinaliza ao corpo para interromper a sua produção própria, deixando o indivíduo dependente das substâncias sintéticas (suplementos ou medicamentos).

Você pode aumentar os seus níveis de glutationa tomando suplementos como o ácido alfa-lipóico, conhecido por ser capaz de regenerar a glutationa. O ácido alfa-lipóico também ajuda a regenerar as vitaminas C e E, para que fiquem ativas por mais tempo no seu corpo. As carnes vermelhas e as vísceras são as melhores fontes alimentares de ácido alfa-lipóico.

A glutamina também pode ser utilizada como suplemento, já que é a precursora direta da glutationa. No entanto, há muitas evidências de que essa substância não é muito bem absorvida pelo corpo.

Também existem evidências de que a vitamina D aumenta a glutationa intracelular. Se você lê meus artigos com frequência, já deve ter notado que eu sou fã da vitamina D, e essa é mais uma razão pela qual ela é tão importante para a sua saúde.

Algumas autoridades nutricionais recomendam o consumo de um tipo de cisteína conhecida como N-acetilcisteína (NAC), mas eu sugiro que você evite esse suplemento se você ainda tiver preenchimentos dentários de amálgama de mercúrio, pois ele pode interferir na desintoxicação do mercúrio.

Mas felizmente, existem formas naturais de aumentar as reservas de glutationa do seu corpo.

Os suplementos e as vitaminas são úteis, mas sempre é melhor consumir os nutrientes em suas formas naturais, a partir da alimentação. Já foi provado que dietas baseadas em alimentos inteiros (ricos em vegetais, frutas, nozes, sementes e proteínas de qualidade) são beneficiais para a sua saúde e longevidade.

Quais alimentos fornecem mais glutationa?

Muitos alimentos inteiros contêm quantidades consideráveis de glutationa, ou dos seus precursores. Alimento ricos em aminoácidos que contêm enxofre são, normalmente, as melhores fontes de glutationa:

O melhor alimento para maximizar as suas reservas de glutationa é o whey protein (proteína do soro do leite) de alta qualidade. Mas deve ser uma proteína extraída a frio, derivada de vacas alimentadas no pasto, e livre de hormônios, produtos químicos e açúcar. A whey protein de qualidade fornece todos os aminoácidos importantes para a produção de glutationa (cisteína, glicina e glutamato), e contém um resíduo de cisteína único (glutamilcisteína) que é altamente bioativo em sua afinidade para se converter em glutationa.

A glutamilcisteína é uma molécula de ligação de cisteína-glutamato, presente naturalmente na albumina do soro bovino, um componente imunológico frágil do soro do leite. Essa cisteína única é exclusiva do soro do leite e raramente está presente em outros alimentos proteicos, tornando a whey protein a melhor fonte alimentar de glutationa.

Além disso, o soro do leite fornece cofatores importantes, imunoglobulinas, lactoferrina e alfa-lactalbumina (outra boa fonte de cisteína), que, quando em conjunto, ajudam a criar um ambiente metabólico adequado para uma atividade elevada de glutationa.

Produtos de leite cru, ovos crus e carne: A glutationa está presente em grandes quantidades em carnes frescas e cruas e leite cru, mas laticínios pasteurizados são muito pobres na substância.

Frutas e vegetais frescos fornecem quantidades excelentes de glutationa, mas se forem cozidos, seus valores se tornam insignificantes. Espinafre, batatas, aspargos, abacate, abóbora, quiabo, couve-flor, brócolis, nozes, alho e tomates são todos ricos em glutationa.

A erva cardo mariano é uma fonte excelente do composto antioxidante silimarina, que pode ajudar a prevenir o esgotamento dos níveis de glutationa no fígado. A glutationa é muito importante para a capacidade de desintoxicação do fígado, e pode se esgotar com o consumo de acetaminofeno (paracetamol), consumo de álcool, e sobrecarga de toxinas.

A curcumina também pode ser útil para aumentar os seus níveis de glutationa.

Para manter os seus níveis de glutationa altos, basta consumir mais alimentos que fornecem glutationa e evitar o consumo de substâncias que a esgotam. As substâncias que esgotam a glutationa de forma mais rápida são os produtos químicos, as toxinas e o açúcar.

A proteína correta

Se você deseja suplementar a sua alimentação com whey protein, você precisa ser cuidadoso, pois nem todos produtos de whey protein são criados da mesma maneira. As lojas de suplementos e os supermercados têm vários tipos do produto em suas prateleiras, e 99% deles estão carregados de açúcar e compostos químicos que não são saudáveis.

Você deve usar somente whey protein de alta qualidade, que fornece todos os elementos nutricionais necessários para aumentar seus níveis de glutationa NATURALMENTE, além de prevenir o seu esgotamento.

Tenha certeza que a sua whey protein tenha as seguintes características:

  1. Que ela venha de vacas alimentadas com pastos sem pesticidas e hormônios;
  2. Que ela seja extraída a frio, pois o calor destrói a estrutura molecular frágil da proteína do soro do leite;
  3. Que seu whey protein seja concentrado, e não isolado;
  4. Que seja adocicado naturalmente, não artificialmente, e que seja pobre em carboidratos;
  5. Que seja altamente digestivo. Procure por ácidos graxos de cadeia média (TCMs), e não de cadeia longa.

Link Original:https://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2019/07/29/aumentando-os-niveis-de-glutationa-atraves-da-alimentacao-ao-inves-de-suplementos.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=7292019_aumentando-os-niveis-de-glutationa-atraves-da-alimentacao-ao-inves-de-suplementos&fbclid=IwAR1M1QdT1_F_UpBfFkfEqTSCfVmrbOYi7-0EzLAf82mfx9tqQk1X_enCQxY

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s