A síndrome amotivacional, consequência do consumo de cannabis

 

 

 

 

 

 

A síndrome amotivacional converte a pessoa em alguém totalmente incapaz de fazer qualquer coisa, de modo que somente realizará atividades que for totalmente obrigada a desempenhar.

Baseado, badego, fino, banza, bagulho, erva… Sim, senhoras e senhores, todas essas palavras dizem respeito ao consumo de cannabis (maconha). Hoje vamos falar da relação do consumo dessa droga com a síndrome amotivacional.

Nos últimos anos foram produzidas muitas evidências científicas sobre as propriedades terapêuticas dos canabinoides. Alguns exemplos são a analgesia, diminuição da pressão intraocular, efeito antiemético em vômitos induzidos por quimioterapia antineoplásica, propriedades relaxantes musculares em diversas doenças como esclerose múltipla, traumatismos medulares e alterações do movimento.

Não obstante, seu uso recreativo também é enormemente difundido na nossa sociedade. Ela é, na verdade, a droga mais consumida de todo o mundo. Isso é bastante preocupante, conforme você vai perceber a partir dos dados que vamos trazer a seguir.

A síndrome amotivacional tem uma maior probabilidade de aparecer em pessoas que têm um consumo regular de cannabis durante um longo período de tempo.

“A apatia é a solução, ou seja, é mais fácil se entregar às drogas do que enfrentar a vida, roubar o que se quer do que batalhar para ganhá-lo, bater em uma criança do que ensiná-la. Por outro lado, o amor requer esforço, trabalho”.
-Morgan Freeman-

 

 

O que é a síndrome amotivacional?

A síndrome amotivacional é definida como um estado de passividade ou indiferença que se caracteriza pela existência de dificuldades cognitivas, interpessoais e sociais generalizadas e que está relacionada com o consumo de cannabis durante anos – a intoxicação crônica por THC.

Esse estado pode se manter mesmo após a interrupção do consumo. A pessoa não sente vontade de fazer nada, fica em estado contínuo de anedonia, não tem motivação ou entusiasmo e apresenta uma falta de interesse generalizada ou apatia.

A motivação é o interesse em satisfazer uma determinada necessidade, que gera um impulso para realizar um comportamento que produz a dita satisfação. Ela está envolvida na ativação, direcionamento e manutenção do comportamento.

O consumo de cannabis faz com que toda motivação para realizar outras tarefas que não o próprio consumo de cannabis desapareça ou diminua em intensidade. O prazer oferecido pelo consumo da droga aumenta e as outras motivações – como trabalhistas, interpessoais, de relacionamento – diminuem.

“Necessariamente o entusiasta vence o apático. Não é a força do braço, nem a virtude das armas, mas sim força da alma que alcança a vitória”.
-Johann Gottlieb Fichte-

Qual é o efeito do consumo regular de maconha durante muito tempo?

Quando o consumo se prolonga por muito tempo, a droga ocupa o primeiro lugar na lista de interesses e se constitui como uma necessidade básica. Isso faz com que as outras necessidades fiquem em um segundo plano e toda a vida gire ao redor da droga.

Outros incentivos não exercem uma força suficientemente grande, já que as alterações cognitivas presentes por causa do vício fazem com que o sujeito relaxe e com que as outras motivações desapareçam.

O consumo prolongado da substância provoca um comprometimento cognitivo que, ainda que o consumo seja interrompido, persiste em algum nível e em relação a uma parte da sintomatologia.

 

Apesar de já estar clara a relação entre o consumo de maconha e a síndrome amotivacional, ainda não foi comprovado que essa problemática está diretamente causada pela cannabis, ainda que tudo aponte para que o consumo ajude a desencadear a condição.

“Deixar-se levar passivamente é impensável”.
-Virginia Woolf-

Sinais e sintomas da síndrome amotivacional

Os sinais e sintomas dessa síndrome são os seguintes, ainda que seja necessário lembrar que não é necessário que todos eles estejam presentes ao mesmo tempo.

Um deles é a apatia do tipo emocional, que consiste em:

  • Redução da vontade para executar ações
  • Incapacidade para finalizar tarefas
  • Incapacidade para avaliar as consequências futuras dos atos
  • Desinteresse
  • Passividade
  • Dificuldades para manter a concentração e a atenção
  • Alterações da memória
  • Indiferença
  • Falta de introspecção (não há consciência do estado em que se está, da síndrome)
  • Demora na realização de tarefas
  • Despreocupação em relação ao futuro
  • Desinteresse em fazer atividades duradouras ou que requerem maior concentração
  • Baixa motivação para o trabalho ou para a escola
  • Despreocupação pelo cuidado pessoal
  • Desinteresse sexual
  • Diminuição dos reflexos
  • Frustração
  • Lentidão para deslocamento e lentificação dos movimentos
  • Redução generalizada de qualquer atividade (profissional, social, lazer, etc)

“A fraqueza de atitude se torna fraqueza de caráter”.
-Albert Einstein-

 

 

 

 

 

 

A nível cognitivo, a sintomatologia produzida pelo consumo de cannabiscrônico produz alterações nas funções executivas. São elas:

  • A antecipação do futuro e estabelecimento de metas
  • O planejamento
  • A inibição de respostas
  • A seleção de comportamentos apropriados segundo o contexto
  • A organização tempo-espacial
  • A flexibilidade cognitiva
  • O sequenciamento de comportamentos
  • A tomada de decisões
  • A memória de trabalho

A nível social, a sintomatologia descrita gera uma diminuição das interações com outras pessoas, gerada por uma perda de interesse em participar de situações sociais, em atividades de qualquer tipo, por uma apatia e uma passividade. Isso faz com que as redes de apoio do indivíduo sejam afetadas. Toda essa sintomatologia pode produzir:

  • Baixo desempenho acadêmico e/ou laboral, devido a dificuldades para estudar e para aprender
  • Isolamento social, ao diminuir as interações com outras pessoas
  • Ausência de planos futuros
  • Predisposição para se envolver em conflitos com as autoridades
  • Não perseguir metas

O que pode ser feito para tratar a síndrome motivacional?

O primeiro objetivo de tratamento deve ser a diminuição progressiva do consumo de cannabis até sua eliminação total, já que se alguém tem uma síndrome amotivacional e consome maconha na fase de reabilitação, dificilmente reverterá a situação.

O vício pode ser superado através do trabalho psicoterapêutico para reabilitar os déficits que persistirem, sendo possível usar psicofármacos se for necessário.

O tratamento mais comumente usado são os fármacos antidepressivos, junto à terapia cognitivo comportamental, para estimular a pessoa a retomar as atividades diárias, melhorar as relações com os familiares e trabalhar sobre o tipo de pensamento que leva à apatia e inatividade.

Link Original:https://amenteemaravilhosa.com.br/a-sindrome-amotivacional-consequencia-do-consumo-de-cannabis/?fbclid=IwAR011VE6tr0iaQp0gvMfSmMIXwjsxuB1ygfnwMzNI_IPr3ux_qc7iNFuL7s

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s