15 grandes mercados do mundo

A partir de rotas comerciais clássicas ou na praça de pequenas cidades, os mercados são uma forma simples e fascinante de aproximar-se da cultura local

Em meados do século 13, no meio do deserto do Mali, caravanas de dromedários surgiam no horizonte trazendo mercadorias e escravos para abastecer o próspero mercado de Timbuktu. Ouro e sal estavam entre os bens que mal paravam sobre o lombo dos animais, sendo protamente despachados para outras paragens, tomando o rumo do Mediterrâneo, do Magreb ou para o Golfo da Guiné.

Em torno desse frenético movimento, surgiram hospedagens, tavernas, templos religiosos e escolas. Nada muito diferente do que ocorria no leste da Ásia, na antiga capital chinesa de Xi’an. Ponta oriental da lendária Rota da Seda, a cidade tornou-se um amálgama de culturas, ideias e produtos vindos de toda Eurásia. Uma próspera comunidade muçulmana ali prosperou e ali permanece orgulhosa, entre a fumaça saindo de seus fogareiros, onde preparam comidinhas de rua.

Em Arnhem, na Holanda, uma ampla praça se abre em frente à igreja de Santo Eusébio, assim como a pequena Bielsko-Biala, no sul da Polônia, também tem a sua, conhecida como Rynek. Para o cidadão comum, porém, ambas são conhecidas simplesmente como a Praça do Mercado. É assim em todo o continente, onde espaços públicos são ocupados há séculos por barracas que vendem queijos, aspargos, flores e panelas, embutidos, peixes e artigos de couro. Cidade assim nasceram, em torno do escambo e das negociações, das operações de câmbio e de apertos de mão.

No Saara, na China ou na Europa, povos estabeleceram entrepostos para trocar mercadorias e servir como janela das diferentes culturas que por ali passavam. Aqui no Brasil há casos emblemáticos, como o Mercado Municipal de São Pauloe o Ver-o-Peso de Belém, ambos servindo como uma antessala do que está para ser encontrado nos restaurantes destas cidades. Uma viagem completa não passa somente por monumentos e museus, mas também pelos lugares onde locais abastecem suas despensas e passam parte de sua vida. Quem conhece as lojas de conveniência do Japão e os mega outlets dos Estados Unidos bem entendem esse conceito.

Embarque conosco nesta viagem por alguns dos mercados mais interessantes do mundo.

 

 

 

 

 

 

Mercado de Khatmandu, NepalConfluência das culturas muçulmana, budista e hindu, o comércio de rua da capital do Nepal tem um charme todo especial. Junto com a menina que vende flores para oferendas aos deuses indianos está um rapaz vendendo moderníssimos artigos usados para trekking e montanhismo. Cafés que oferecem internet para quem passou as últimas semanas isolado no acampamento-base do Everest estão ombro a ombro com barracas com produtos que você nem imagina o que são. De vez em quando, é melhor nem ficar sabendo (california cowgirl 1/CC/Wikimedia Commons)

2. Mercado de Chichicastenango, Guatemala

 

 

 

 

 

 

Mercado de Chichicastenango, Guatemala Não há pizza, nem macarronada, sem um bom molho de tomate. É impensável a culinária tailandesa sem o ardor de suas pimentas ou um bom goulash húngaro desprovido de páprica. Nada disso existia antes de Colombo: pimentas, pimentões, tomate, milho e cacau, entre tantos outros produtos, eram exclusivos da dieta dos povos americanos. Um delicioso cruzamento entre o que restou da cultura maia e sua herança gastronômica está no mercado de Chichicastenango, na Guatemala. Aqui não só se encontram cerâmicas, produtos hortifruti e artesanatos, mas também um pot-pourri das etnias guatemaltecas, em diferentes tipos de vestimentas e idiomas. Onde o espanhol de Cortez é apenas um detalhe, este é um destino tão ou mais nobre que as pirâmides de Tikal (soyignatius/CC/Wikimedia Commons)

3. Mercado Kauppahalli, Helsinque, Finlândia

 

 

 

 

 

 

 

Kauppahalli, Helsinque, Finlândia Tudo imaculadamente ordenado, seguindo sequências de cor e tipo de produto: até na hora das compras os finlandeses parecem ter o mesmo senso que tornou seu design industrial famoso. O pequeno mercado coberto Kauppahalli divide o mesmo pedaço do porto de Helsinque com o Kauppatori, a feira ao ar-livre. No primeiro estarão frutas e verduras, carnes embutidas, pães e comidinhas tentadoras – tudo pronto para um piquenique nos parques ou nas ilhas do entorno. Já no segundo você encontra principalmente pescados frescos e barracas de comidas preparadas na hora. Mas devidamente sentado numa cadeira Arne Jacobsen, veja lá (Reprodução/Reprodução)

4. Mercado de Yangshuo, China

 

 

 

 

 

 

 

Yangshuo, China Qualquer mercado chinês é um teste para os estômagos ocidentais – e de alguns orientais, também. A visão de carcaças de pato junto a engradados com estrelas do mar ou o cheiro de pena queimada das galinhas misturado ao de mariscos são uma prova e tanto. Se misturarmos tudo isso ao aroma de pimentas em pó, aniz estrelado, canela e peixes do rio, seus olhos sairão de órbita e seus pulmões pedirão um pouco de ar fresco. É divertido, obrigatório até, mas vá sem comer nada antes. Dentro das rotas turísticas, o de Yangshuo, à sombra das fantásticas montanhas do rio Lijiang e próxima a Guilin, é um bem autêntico (Eduardo Jun Marubayashi/Reprodução)

5. Mercado de Pádua, Itália

 

 

 

 

 

 

Mercado de Pádua, ItáliaEm um país que tem delícias como o queijo de Parma, o presunto San Danielle, os vinagres balsâmicos de Modena, vinhos de Chianti e cortes de carne extraordinários, bons mercados não faltam. Junte-se a isso o frescor de aspargos, alcachofras, morangos, cogumelos, endívias e ervas e você se deparará com monumentos à boa mesa, de Catanzaro a Gênova, de Roma a Bolonha. Nenhum deles, porém, é tão variado e divertido como o de Pádua, no Vêneto. Aqui cada produto tem nome e sobrenome. Azeitonas da Ligúria, queijo de cabra da Sardenha, tomates da Campanha. Junto com a basílica de Santo Antônio, esta é uma atração imperdível na cidade.Leia mais: 48 horas em Veneza (darren and brad/CC/Wikimedia Commons)

6. Mercado de Flores de Aalsmeer, Holanda

 

 

 

 

 

 

Mercado de Flores de Aalsmeer, Holanda Localizado a poucos quilômetros da capital Amsterdã, Aalsmeer fica estrategicamente próxima ao aeroporto de Schiphol e da maior área produtora de tulipas da Holanda, Rijnland. Neste gigantesco mercado de flores – o maior do mundo, negociantes participam de um dos mais inusitados leilões do mundo. Carrinhos repletos de flores – previamente inspecionados – passam em frente aos compradores, que deverão fazer seus lances. Detalhe: o preço vai do mais alto para o mais baixo, ou seja, há apenas um lance vencedor. Como os lotes passam numa velocidade frenética, a tensão é permanente.Mais em: 48 Horas em Amsterdã (Divulgação/Divulgação)

7. Mercado Flutuante em Damnoen Saduak, Tailândia

 

 

 

 

 

 

 

Damnoen Saduak, Bangcoc, TailândiaOs históricos mercados flutuantes da Tailândia eram uma forma rápida e prática para que os produtores de frutas e verduras chegassem aos seus consumidores. Sem boas estradas, mas com uma extensa malha de rios e canais, este era o meio de transporte ideal. Hoje mercados como Damnoen Saduak ainda cumprem sua função original, mas também servem como atrações turísticas – vendedores de produtos agrícolas e outros alimentos reclamam da invasão de barcos que vendem refeições. De qualquer forma, esta é uma visão tão inusitada quanto reveladoraMais em: 48 Horas em Bangcoc (Thinkstock/Thinkstock)

8. Mercado de la Boquería, Barcelona, Espanha

 

 

 

 

 

 

Mercat de Sant Josep de la Boqueria, BarcelonaUma das atrações mais interessantes no Centro de Barcelona é o mercado de la Boquería. Um imenso labirinto de lojas oferecendo de frutos do mar a embutidos que você nunca viu na vida, com boas ofertas de vinhos espanhóis, de cavas a cidras, passando por fortificados de jerez, aqui é um grande passeio pela gastronomia mediterrânea espanhola. E o melhor: você pode tapear por pintxos com pequenos pratos típicos de Valência, Catalunha e Andaluzia, entre outras especialidades regionais.Mais em: 48 Horas em Barcelona (sophoco/CC/Wikimedia Commons)

9. Mercado de Queijos de Alkmaar, Holanda

 

 

 

 

 

 

Mercado de Queijos de Alkmaar, Holanda Senhores de avental branco e apressados carregadores dão o tom do mercado de queijos de Alkmaar, na Holanda. Ele funciona em algumas sextas-feiras de abril a setembro, das 9h50 às 12h30, com explicações em holandês, alemão, francês e inglês. Uma tradição iniciada em 1593, a incessante movimentação para transporte, checagem e pesagem atrai milhares de turistas ao local. Cidades holandesas cujos queijos tornaram-se conhecidos mundo afora – caso de Edam e Gouda – também possuem atrações semelhantes (jimforest/CC/Wikimedia Commons)

10. Grande Mercado de Budapeste, Hungria

 

 

 

 

 

 

 

Grande Mercado de Budapeste, HungriaLocalizado no centro de Budapeste, o grande mercado central (Nagycsarnok) reúne ofertas interessantes com muita páprica, caviar, vodca e até alguns bons vinhos locais como o Tokaj e o Egri Bikaver (jaime.silva/Reprodução)

11. Grande Bazar de Istambul, Turquia

 

 

 

 

 

 

Grand Bazaar, Istambul, Turquia A mãe de todos os mercados. O Grande Bazar de Istambul, o Kapali Carsi, tem mais de três mil lojas, casas de chá, mesquitas, cafés e restaurantes, espalhados por mais de 300 mil metros quadrados. Ou seja, é muito maior que boa parte dos mais amplos shopping centers brasileiros. Ao seu tempo, sua estrutura coberta com elegantes arcos e abóbadas organizaram o comércio na capital turca, amalgamando diferentes lojas de tecidos, especiarias, joias e muito mais (nico/CC/Wikimedia Commons)

12. Mercado de rua do bairro muçulmano de Xi’an, China

 

 

 

 

 

 

Xi’an, ChinaPrimeiro chegaram as rotas comerciais, depois as praças de mercado, que então se transformavam em cidades. Poderosas cidades. Entrepostos mercantis como Petra, na Jordânia, ou Timbuktu, no Mali, são só alguns exemplos de culturas que prosperam com a passagem das preciosas caravanas em estradas históricas. No entanto, nenhum desses caminhos foi tão célebre quanto a Rota da Seda. Da China ao leste do Mediterrâneo, esta via dupla permitiu uma incessante troca de conhecimentos, produtos e ideias. Todas as cidades ao longo da rota, como Damasco, Samarkand e Kashgar, possuem elementos referentes a esse intenso período, assim como Xi’an, na China. Mais conhecida por sua bem conservada muralha e o bárbaro Exército de Terracota, a cidade no extremo leste da Rota possui um interessante mercado no bairro muçulmano, com produtos variados, comida de rua, chás e, sim, peças em seda (astro-now/flickr/Flickr)

13. Jaipur, Índia

 

 

 

 

 

 

 

Jaipur, Índia Sob os arcos da cidade rosada, Jaipur, capital do Rajastão, no oeste da Índia, fervilha com seu comércio. Lojas comuns vendem especiarias para o curry de todo dia e coloridos sáris para as mulheres. Isso já teria um magnetismo ímpar não fosse o caos que rompe o exterior. O tacho da doceria que emana um delicioso cheiro está lado a lado com uma multidão de porcos, macacos e pombos fazendo a festa no lixo revirado. Os tucs-tucs e táxis Tata barulhentos, aliados aos sons das negociações, preenchem o ar, assim como aromas indescritíveis e impossíveis de serem identificados (pov_steve/CC/Wikimedia Commons)

14. Khan el-Kalili, Cairo, Egito

 

 

 

 

 

 

 

Khan el-Kalili, Cairo, EgitoLocalizado próximo à histórica mesquita de Al-Azhar,o Khan-el-Kalili é virtualmente um labirinto de lojas, cafés e restaurantes onde pode-se encontrar narguilés, especiarias, tecidos, lustres e muito, muito mais. A atmosfera caótica e ruidosa do Cairo é amplificada neste souq, o clássico mercado árabe, que tem suas origens no século 14. Como tudo no Egito, nada aqui tem etiqueta de preço, portanto prepare-se para longas negociações (vipeldo/flickr/Flickr)

15. Tsukiji, Tóquio, Japão

 

 

 

 

 

 

 

Tsukiji, Tóquio, JapãoMuito mais que o maior mercado de pescados do mundo, o mercado de Tsukiji é uma pequena janela da alma de Tóquio. Foi nas ruelas próximas que surgiu a mistura de peixe cru, arroz e vinagre, o sushi, o mais emblemático prato da culinária japonesa. Aqui não só é possível provar delicados cortes de o-toro, a carne gorda do atum, como comprar toda a parafernália para preparar tudo em casa, a começar pelas afiadas facas (ys/flickr/Flickr)

Link Original:https://viagemeturismo.abril.com.br/materias/15-grandes-mercados-do-mundo/

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s