A Ciência Diz que o Estresse é Contagioso

 

 

 

 

 

Por Dr. Mercola

Se você está estressado e não consegue apontar o motivo, vale a pena considerar as companhias que você mantém.

Novas pesquisas demonstram que o estresse é altamente contagioso, não apenas na maneira como você se sente, mas na maneira como seu corpo responde fisicamente também.

Se você cercar-se de outros que estão estressados (seja por escolha ou circunstância), isso provavelmente está afetando sua saúde mental e física.

E entenda isso… o mesmo acontece ao assistir situações estressantes na televisão.

“Espantosa” Demonstração de Estresse Empático

A nova pesquisa, publicada na revista Psychoneuroendocrinology, revelou que simplesmente observar outra pessoa em uma situação estressante normalmente produz uma resposta de estresse empática no observador.

Por exemplo, ao observar participantes estressados ​​(que foram solicitados a resolver tarefas aritméticas difíceis e participar de entrevistas) através de um espelho unidirecional, 30% dos observadores experimentaram uma resposta ao estresse na forma de um aumento no cortisol, o hormônio do estresse.

Quando o observador teve uma relação romântica com o participante estressado, a resposta enfática ao estresse foi ainda mais forte, afetando 40%. No entanto, mesmo observando um estranho estressado, 10% dos observadores sentiram-se igualmente estressados. A resposta ao estresse foi transmitida não apenas quando os observadores assistiram ao evento ao vivo, através de um espelho unidirecional, mas também via transmissão de vídeo.

Cerca de 24% dos observadores tiveram um aumento nos níveis de cortisol quando assistiram a uma versão televisionada do evento estressante. Um dos pesquisadores do estudo observou que o estresse tem “um enorme potencial de contágio” e chamou seus resultados de “espantosos”.

“O fato de podermos medir esse estresse empático na forma de uma liberação significativa de hormônio foi espantoso… Deve haver um mecanismo de transmissão através do qual o estado do alvo possa provocar um estado similar no observador até o nível de uma resposta de estresse hormonal… até mesmo programas de televisão descrevendo o sofrimento de outras pessoas podem transmitir esse estresse para os telespectadores.”

Por que sua Saúde Pode Sofrer de Estresse Empático

Se você costuma estar com pessoas estressadas ou opta por assistir programas estressantes na TV, sua saúde pode ser prejudicada. Seu nível de estresse é um grande protagonista na sua saúde geral, afetando o risco de doenças crônicas, como doenças cardíacas, depressão e obesidade.

Mas, ao contrário de outros fatores de risco mais óbvios, como excesso de junk food ou não se exercitar, o estresse é mais insidioso, sutilmente escondendo-se de você ao longo do tempo, aumentando o risco de problemas de saúde, mesmo enquanto você não se sente mal ou percebe que seu estado cronicamente estressado está lentamente destruindo sua vitalidade.

O estresse torna-se algo terrível quando é extremamente grave, como quando se enfrenta um combate ou outro cenário traumático, ou em longo prazo.

É esse último que representa um risco para muitos americanos, que vivem em um estado cronicamente elevado de estresse e ansiedade – e muitas vezes passam esse estado estressante para aqueles ao seu redor. Com o tempo, o estresse crônico pode prejudicar o sistema imunológico e causar vários eventos prejudiciais no seu corpo, incluindo:

Diminuição da absorção de nutrientes Colesterol elevado Maior sensibilidade alimentar
Diminuição da oxigenação no intestino Triglicerídeos elevados Azia
Até quatro vezes menos fluxo sanguíneo para o seu sistema digestivo, o que leva à diminuição do metabolismo Diminuição da população da flora intestinal Diminuição da produção enzimática no seu intestino – até 20.000 vezes!

Além disso, quando seu corpo permanece em modo de “luta ou fuga” induzido pelo estresse por muito tempo, uma das consequências mais comuns desse cenário é que suas glândulas suprarrenais, confrontadas com estresse e sobrecarga excessivos, ficam sobrecarregadas e fatigadas. Isso pode levar a vários problemas de saúde relacionados, incluindo fadiga, distúrbios autoimunes, problemas de pele e muito mais.

O estresse também tem sido associado ao câncer através da regulação negativa da imunovigilância, potencialmente desencadeando o crescimento de tumores, e até mesmo ativando genes de resistência a múltiplos remédios dentro das células cancerígenas. De fato, o estresse, e de forma indireta sua saúde emocional, é um dos fatores principais na maioria das doenças ou enfermidades que você possa imaginar.

Os Pássaros Possuem uma Maneira Única de Lidar com o Estresse Melhor do que os Humanos

A resposta ao estresse nas aves (e em todos os vertebrados) é notavelmente similar àquela que ocorre nos humanos. Os mesmos hormônios estão envolvidos, incluindo os aumentos nos corticosteroides (a corticosterona em aves é basicamente a mesma que o cortisol nos humanos).

Além disso, assim como (muitos) seres humanos, os pássaros vivem uma existência estressante, procurando alimento, reproduzindo-se e criando seus descendentes, enfrentando predadores e migrando para ambientes incrivelmente imprevisíveis.

Curiosamente, pesquisadores da Davis’ Birds and Seasonality Project da Universidade da Califórnia descobriram que certas aves canoras, incluindo Calcarius pictus e Zonotrichia leucophrys, que migram para o Ártico para reprodução, desenvolveram uma maneira de alterar sua resposta ao estresse.

O Ártico é claramente um ambiente muito estressante e desafiador, que normalmente levaria a uma resposta extrema ao estresse. Mas os pesquisadores descobriram que as aves são capazes de amortecer e, em alguns casos, “desligar” completamente suas respostas ao estresse, o que essencialmente permite a elas criar seus filhotes nas condições extremas (se uma alta resposta ao estresse persistisse, isso poderia levar os pássaros a abandonar seus ninhos).

As aves parecem estar entre os poucos vertebrados com essa capacidade, embora os pesquisadores ainda estejam tentando descobrir exatamente como as aves realmente mudam seu “interruptor de resposta ao estresse”.

A Felicidade Também é Contagiosa

Se o estresse é contagioso, parece plausível que a felicidade seja contagiosa também, e uma pesquisa demonstra que isso realmente é verdade. Um dos estudos mais recentes nesse sentido examinou o conteúdo emocional de um bilhão de posts no Facebook e sugeriu que, embora as emoções positivas e negativas pareçam ser contagiosas, as emoções positivas são na verdade maiscontagiosas do que as emoções negativas.

Outra pesquisa demonstrou que as pessoas que estão cercadas por muitas pessoas felizes estão mais propensas a tornarem-se felizes no futuro. O efeito aplica-se não somente àqueles em contato próximo com a pessoa feliz, mas também se estende a três graus de separação.

Por exemplo, em relação a uma pessoa feliz:

  • O cônjuge tem um aumento de 8% na chance de felicidade
  • O vizinho ao lado tem um aumento de 34% de chance de felicidade
  • Um amigo que mora a cerca de uma milha (1,6 km) tem uma aumento de 25% de chance de felicidade

Também como o estresse, a felicidade altera sua saúde física, embora de uma maneira positiva em vez de negativa. Pensamentos e atitudes positivas são capazes de provocar mudanças no seu corpo que fortalecem seu sistema imunológico, aumentam as emoções positivas, diminuem a dor e as doenças crônicas e proporcionam alívio do estresse.

Um estudo descobriu, por exemplo, que a felicidade, o otimismo, a satisfação com a vida e outros atributos psicológicos positivos estão associados a um menor risco de doença cardíaca. Foi até demonstrado cientificamente que a felicidade pode alterar seus genes!

Uma equipe de pesquisadores da UCLA mostrou que pessoas com um profundo sentimento de felicidade e bem-estar tinham níveis mais baixos de expressão gênica inflamatória e respostas antivirais e de anticorpos mais fortes. Isso cai no reino da epigenética —mudando a maneira como seus genes funcionam ao desligá-los e ligá-los.

O que Acontece com suas Células Quando Você Experimenta Felicidade?

Emoções positivas como felicidade, esperança e otimismo promovem mudanças nas células do seu corpo, provocando até mesmo a liberação de substâncias químicas cerebrais do bem-estar. Embora você possa criar felicidade artificialmente tomando drogas ou bebendo álcool, por exemplo, o mesmo efeito causado por endorfina e dopamina pode ser alcançado por meio de hábitos saudáveis como exercícios, risos, abraços e beijos, sexo, ou pelo vínculo com seu filho.

Se você está perguntando-se o quanto isso pode ser poderoso e eficaz, um abraço de 10 segundos por dia pode levar a reações bioquímicas e fisiológicas no seu corpo que podem melhorar significativamente sua saúde. De acordo com um estudo, isso inclui:

Menor risco de doença cardíaca Redução do estresse Combate da fadiga
Melhora do seu sistema imunológico Combate a infecções Alivio da depressão

Segundo a Dra. Marianna Pochelli, uma médica de medicina naturopata:

“Quanto ao seu cérebro, todo pensamento libera substâncias químicas cerebrais. Concentrar-se em pensamentos negativos efetivamente drena o cérebro de sua força positiva, reduz a velocidade e diminui a capacidade de funcionamento do cérebro, até mesmo criando depressão.

Por outro lado, pensar de forma positiva, feliz, esperançosa, otimista, ter pensamentos alegres diminui o cortisol e produz serotonina, o que cria uma sensação de bem-estar.

Isso ajuda seu cérebro a funcionar com capacidade máxima. Pensamentos felizes e pensamentos positivos, em geral, dão apoio ao crescimento do cérebro, assim como a geração e reforço de novas sinapses, especialmente em seu córtex pré-frontal (PFC), que serve como o centro de integração de todas as suas funções cérebro-mente.”

Essas mudanças físicas nas suas células levam a múltiplos benefícios concretos, incluindo:

  • Estimular o crescimento das conexões nervosas
  • Melhorar a cognição aumentando a produtividade mental
  • Melhorar sua capacidade de analisar e pensar
  • Afetar sua visão das coisas que o cercam e aumentar a atenção
  • Levar a pensamentos ainda mais felizes

Uma Estratégia Simples para Aumentar sua Felicidade

Praticar “consciência plena” significa que você está ativamente prestando atenção ao momento em que está vivendo, ajudando-o a manter seu foco interno. Em vez de deixar sua mente vagar, quando você estiver atento, você estará vivendo o momento e deixará que pensamentos de distração passem por sua mente sem deixar-se envolver em suas implicações emocionais.

A consciência plena pode ajudar a reduzir a inflamação induzida pelo estresse e é um forte exemplo de como você pode aproveitar seu próprio senso de poder e controle para alcançar o que deseja na vida, incluindo um estado mental mais positivo e mais feliz. Técnicas simples como as seguintes podem ajudá-lo a tornar-se mais consciente:

  • Preste atenção a um aspecto da experiência sensorial, como o som da sua própria respiração
  • Diferencie pensamentos simples e aqueles que são elaborados com emoção (como “eu tenho uma prova amanhã” versus “e se eu for mal na minha prova amanhã e for reprovado nessa matéria?”)
  • Reestruture os pensamentos emocionais como sendo simplesmente “projeções mentais” para que sua mente possa descansar

Ainda assim, para muitos, a felicidade pode ser um objetivo ilusório e mal definido. Uma maneira de pensar sobre a felicidade é defini-la como “qualquer coisa que deixe você animado”. Uma vez que você tenha identificado essa atividade, seja ela qual for, você pode começar a focalizar sua mente em torno dela para que possa integrar mais dela na sua vida diária. Se você sentir-se preso e não sabe onde ou como começar, sugiro analisar estes Vinte e dois hábitos positivos das pessoas felizes.

O Estresse está Segurando Você? Experimente essa Técnica para Libertar-se

É difícil ser feliz quando você está sendo consumido pelo estresse, e é por isso que o controle regular do estresse é crucial. Para alguns, isso pode incluir ficar longe de indivíduos negativos ou excessivamente estressados, ou pelo menos desligar o noticiário noturno se ele for muito perturbador, para evitar sentir estresse empático.

Em última análise, no entanto, o que você faz para aliviar o estresse é uma escolha pessoal, já que suas técnicas de controle do estresse devem apelar para você e, mais importante, trabalhar para você. Se uma rodada de kickboxing ajuda você a sair da sua frustração, então faça isso. Se a meditação está mais para a seu gosto, tudo bem também.

Mesmo dar uma boa chorada de vez em quando pode ser benéfico, pois as lágrimas que são derramadas devido a uma resposta emocional, como tristeza ou felicidade extrema, contêm uma alta concentração de hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) — uma substância química ligada ao estresse.

Uma teoria de por que você chora quando está triste é que isso ajuda o corpo a liberar alguns desses produtos químicos de estresse em excesso, ajudando você a sentir-se mais calmo e relaxado. Técnicas de psicologia da energia, como as Técnicas de Libertação Emocional (Emotional Freedom Techniques – EFT) também podem ser muito eficazes, ajudando você a realmente reprogramar as reações do seu corpo aos inevitáveis estressores da vida cotidiana.

Isso é importante porque, em geral, um estressor torna-se um problema quando:

  • Sua resposta é negativa
  • Seus sentimentos e emoções são inadequados para as circunstâncias
  • Sua resposta dura um tempo excessivamente longo
  • Você está sentindo-se continuamente oprimido, dominado ou sobrecarregado

Quando você usa as EFT, simples toques com as pontas dos dedos são usados para introduzir energia cinética em meridianos específicos na sua cabeça e peito enquanto você pensa sobre um problema específico — seja um evento traumático, um vício, dor, etc. — e afirmações positivas de voz.

Essa combinação de tocar os meridianos de energia e expressar afirmações positivas funciona para eliminar o “curto-circuito” — o bloqueio emocional — do sistema de bioenergia do seu corpo, restaurando assim a mente e o equilíbrio do seu corpo, o que é essencial para ter uma saúde otimizada e para a cura do estresse crônico. Você pode ver uma demonstração abaixo.

Link Original:https://portuguese.mercola.com/sites/articles/archive/2018/05/30/estresse-felicidade-contagiosos.aspx?utm_source=facebook.com&utm_medium=referral&utm_content=facebookmercolaport_lead&utm_campaign=5302018_estresse-felicidade-contagiosos

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s